A revolução dos 2 aninhos; e agora?

Padrão

Meu príncipe de 2 anos e cinco meses está naquela fase gostosa também conhecida como “the terrible twos”. Sabe a tal fase na qual aqueles pinguinhos de gente que nasceram ontem acham que são gente?

Pois é….o meu bolinho lindo faz birra, não quer obedecer e…não quer comer! Aliás, tem semanas que ele come bem, tem outras que  parece estar seguindo alguma nova dieta maluca de Hollywood. Antes mesmo de completar 2 anos, em Janeiro, ele começou a dar indícios do início de um longo e difícil período;  recusava-se a comer alimentos de sal e só queria a “mamadeira”. Ficamos tão preocupados, que fizemos vários exames. Graças à Deus estava tudo bem. Tentamos fazer ele comer de todas as formas e ele, nada. Voltou a comer aos poucos (e quando quis!) e em Fevereiro já estava normalizado. 

Mas então, o que fazer? Sentar e chorar? Também, mas já tentei isso e não resolve. Os pediatras são unânimes: “insista nos alimentos”,    ” deixe-o com fome”, “ofereça vários alimentos varias vezes ao dia”.  Falar é tão fácil… E quem tem coragem de deixar um filho sem comer o dia inteirinho? Fiz isso um dia com uma dor no coração enooorme e sabe o que aconteceu? Ele continuou recusando a comida? E aí? Entrei em fóruns de discussões sobre o assunto dos EUA, UK, França, Itália Espanha e Portugal e concluí o óbvio; mãe só muda o endereço mesmo. Todas aflitas, todas com a mesma preocupação e com o mesmo objetivo: querer ver seus filhos saudáveis e comendo bem. 

Em geral, me aborrece muito esses discursos prontos sobre” como fazer uma criança comer bem” que médicos, “especialistas” e algumas mães gostam de repetir como uma receita de bolo, como se esta fosse uma tarefa fácil ou simples. Não é fácil e muito menos simples e ainda por cima, envolve-nos emocionalmente. Qual é a mãe que não se frustra ou não se preocupa diante de uma situação como esta?  Nas minhas pesquisas na internet achei muitos artigos totalmente inúteis, porém alguns  interessantíssimos dentre os quais, o da Pampers, que dá as seguintes dicas:

“Aos 2 aninhos, seu filho ainda não come muito, mas é extremamente observador. Por isso, pode estar apenas imitando você. Oferecer alimentos nutritivos e comer bem em sua presença são as duas melhores maneiras de ensiná-lo a se alimentar adequadamente. Mas tome cuidado para que ele não adquira seus maus hábitos. Agora seu ritmo de crescimento é menor do que era. Por isso ele não precisa de tanta comida quanto imaginamos. Além disso, ele gosta de escolher o que vai comer, onde, quando e em que prato. Pode optar por grandes “comilanças” de um único alimento e depois, sem mais nem menos, rejeitá-lo.

Não comece a brigar Se você aceitar esses hábitos, sem questioná-los, a criança acabará esquecendo. Entretanto, se insistir em fazer as coisas ao seu modo, só estimulará a batalha. Você jamais sairá vencedora. Basta oferecer alimentos nutritivos. Não importa se, durante algum tempo, ela só coma um determinado alimento. Não pergunte o que quer comer. É poder demais para uma pessoinha tão pequena. Você é quem escolhe. Lembre-se de que há diversas opções de alimentos razoáveis e atraentes para as crianças nessa idade.

Seu filho deve sentar-se à mesa para as refeições. As pessoas que comem sempre na mesma hora, no mesmo lugar, em geral são mais nutridas e têm melhor forma física. Desde cedo, crie esse bom hábito. Criança não deve comer no carro, na cama nem na frente da televisão. Se ela não gosta muito de leite, dê-lhe cálcio sob a forma de queijo ou iogurte. Elimine a mamadeira.

Brigas na hora da refeição! Se seu filho de dois anos recusa-se a comer tudo que você coloca à sua frente, vocês dois iniciaram uma guerra alimentar e, nesse caso, não adianta confrontá-lo. Experimente os seguintes métodos:

  • Tire-o da mesa e tente novamente em algumas horas, na próxima refeição.
  • Comece com um lanche nutritivo, como queijo, biscoito salgado ou uma fruta. Coloque em uma bandeja e junte-se a ele. Mas não fique olhando, esperando ele comer.
  • Se, mesmo assim, ele continuar se recusando a comer, tire-o novamente da mesa e pare de se preocupar. Criança saudável não morre de fome, nem mesmo nessa idade. Relaxe: ele estará pronto para comer na próxima refeição.

Pergunte à babá ou ao pessoal da creche quando e o que seu filho come durante o dia. Se a alimentação não for adequada, discuta com a babá ou com quem toma conta dele. Se a creche não puder oferecer o que seu filho precisa, ofereça-se para mandar as refeições de casa. Mas não se preocupe demais. As crianças aprendem a viver em ambientes diferentes e sua alimentação pode variar muito. Se possível, almoce com seu filho de vez em quando.”

 Interessante, não? Muitas coisas já faço, outras, preciso aplicar no nosso dia a dia. 

Espero que  meu anjinho volte a comer bem muito em breve!

Danete o safadinho gosta!

Fonte: http://www.pampers.com.br/pt_BR/parenting-articles/por-que-a-crianca-pequena-nao-quer-comer-e-o-que-voce-pode-fazer/1481

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s